Advertisement

11 de janeiro de 2015

Com o tempo seco, número de queimadas aumenta no Agreste de Pernambuco

Neste período de tempo seco, a probabilidade para queimadas aumenta significativamente, no Agreste pernambucano. Isso acontece, porque, a diminuição da umidade do ar resseca a vegetação e ela fica mais propensa a esse tipo de situação. A ação humana é outro fator que contribui bastante para a causa de pequenos focos, que se alastram se transformando em incêndios de grandes proporções. “O ideal é que se evite a queimada, se for realmente fazer, procure a legislação pertinente e a autorização dos órgãos pertinentes também, como o IBAMA, CPRH entre outros”, alerta o tenente Renato, do 2º grupamento do corpo de bombeiros de Caruaru.O lixo acumulado em áreas de mata é outro vilão das queimadas. O plástico e o vidro são responsáveis por um efeito que é chamado lupa. Esses objetos quando jogados, acabam concentrando raios solares e dando inicio a uma combustão. Existem também as combustões naturais que podem acontecer em virtude da alta temperatura, mas que são menos frequentes.Provocar incêndios é crime ambiental, podendo ter pena de dois a seis anos de reclusão e também multas administrativas de R$ 1.000 por hectare. Em caso da queimada fugir do controle deve-se acionar imediatamente o telefone de emergência do corpo de bombeiros 193.


Da Radio Liberdade 
Compartilhar: Compartilhar no WhatsApp
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário