Advertisement

2 de abril de 2015

Celas prisionais do agreste se tornaram salas expositivas abertas ao público

Iniciativa resgata uma história pouco conhecida no interior de Pernambuco: o da Casa de Câmara e Cadeia, construção idealizada pelo engenheiro francês Luiz Vèrger Vauthier, responsável também pelo Teatro Santa Isabel. O espaço, que passou por processo de restauro, integra novo projeto com o incentivo do Funcultura, com o objetivo de recuperação e adequação do térreo da edificação principal, onde funcionavam as celas prisionais. O processo está sendo comandado pela diretora Mônica Mendonça da Casa de Câmara e Cadeia - Centro Cultural do Brejo da Madre de Deus, a arquiteta Marina Russell e Dora Dimenstein da ADCE Produção Executiva para nova etapa do processo de recuperação do espaço. A investida promete novidades com o restauro interno na área do térreo, onde funcionou as celas dos presos, que passa por um processo de levantamento de história ao longo de sua existência como unidade prisional. A intenção agora é desenvolver um resgate também das vidas que marcaram o local e não só da estrutura do prédio, idealizado no século XIX pelo engenheiro francês Luiz Vèrger Vauthier, que também foi responsável pelo Teatro Santa Isabel.

Esta é a quarta etapa de um projeto que já proporcionou diversos avanços ao local secular para transformação em Centro Cultural, que conta com espaços para eventos, lojinhas de artigos de artesanato local, e espaços expositivos. 

Compartilhar: Compartilhar no WhatsApp
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário