Advertisement

11 de abril de 2015

Professores da rede estadual decretam greve por tempo indeterminado

A falta de negociação do governo com a categoria, o desrespeito à Lei do Piso, o nivelamento das faixas salariais, a dissolução do Plano de Cargos e Carreira levaram os professores da rede estadual a decretarem nesta sexta-feira (10), greve por tempo indeterminado. A partir da próxima segunda-feira (13), as escolas públicas não funcionarão. A medida é fruto da falta de diálogo dos representantes do governo com a categoria e da aprovação do Projeto de Lei 79/2015, aprovado no último dia 31 de março, na Assembleia Legislativa. O projeto assegura 13,01% de reajuste ao profissional de nível médio (antigo Magistério) e 0,89% ao professor com nível superior e menos de dez anos de serviço na rede. A medida deixou de fora de qualquer aumento 45.750 professores. Para o presidente do SINTEPE, Fernando Melo a greve foi aprovada depois de várias atividades realizadas para chamar atenção do governo e exigir dele cumprimento da lei federal do Piso e da lei estadual. "A insatisfação dos professores é grande pois o governo descumpre a legislação. A categoria avaliou que não havia mais saída para cobrar do governo respeito à lei", sublinhou Melo.

Participaram da atividade 2 mil professores e entre eles estavam: Évia Lima, da Escola João Bezerra que assegura ser esse momento oportuno para greve. “É necessário que a gente exponha a indignação porque há um desrespeito total em relação ao reajuste salarial. A luta é toda a sociedade e não de uma parte dela”.

Marciano André, professor da Escola de Referência José Vilela disse que é importante o movimento porque o formato que o governo quer conduzir o processo é equivocado. Depois que a assembleia terminou os professores protestaram em frente ao Clube Português, interrompendo o trânsito na Avenida Agamenon Magalhães para mostrar a sociedade que a culpa deles estarem ocupando aquele espaço é do governador Paulo Câmara. A rede estadual de ensino conta com 49.816 professores e cerca de 650 mil alunos que ficarão sem aula a partir de segunda-feira (13).

Para a próxima semana, a categoria aprovou o calendário de atividades abaixo.

13/04 - Primeiro dia de Greve, contatos com a comunidade escolar;

Audiência com o Ministério Público, às 14h.

14/04 - Debate sobre o Projeto de Lei 4330, às 14h, no auditório do SINTEPE;

15/04 - Passeata com as Centrais Sindicais (Greve Nacional contra o PL 4330) Os trabalhadores participarão da atividade com o mote: Prometeu, cumpra!

16/04 - Comunicação com a sociedade através de carros de som nas comunidades;

17/04 - Assembleia Geral da categoria, às 9h, local a definir.


Fotos: Agência JC Mazella
Compartilhar: Compartilhar no WhatsApp
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário