24 de abril de 2015

postheadericon SECA PROVOCA MUDANÇA NO CALENDÁRIO DA COMPESA DE TORITAMA E OUTRAS CIDADES DO AGRESTE.


A falta de chuvas e a perspectiva de precipitações abaixo da média na região do Agreste pernambucano motivaram a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) a alterar o calendário de abastecimento das 15 cidades abastecidas pelo Sistema Jucazinho. Atualmente, o nível da barragem está em 7,8% de sua capacidade, o que corresponde a 25 milhões de metros cúbicos de água. No mesmo período do ano passado, o reservatório, localizado em Surubim, estava com 30%, ou seja, 100 milhões de m³. “Decidimos ser transparentes, avisar à população sobre a gravidade da situação e ao mesmo tempo pedir o seu apoio para a necessidade do uso racional da água. Estamos mudando o calendário de abastecimento com o objetivo de preservar o manancial, evitando que entre em colapso”, explicou o presidente da Compesa, Roberto Tavares. O anúncio foi feito durante entrevista coletiva, nesta quinta-feira (23), em Caruaru. O novo calendário terá início no dia 1º de maio e deverá ficar em vigor, no mínimo, pelos próximos quatro meses. “Estamos enfrentando o quarto ano consecutivo de seca, a pior dos últimos 50 anos, e vamos tentar dar essa sobrevida à barragem. Mas precisamos do apoio da população para usar a água de maneira racional, pois, por enquanto, não há indicativo de melhoria”, afirmou o diretor Regional do Interior, Leonardo Selva.

A cidade de Caruaru, com mais de 300 mil habitantes, terá um calendário específico: 40% da cidade ficará 3 dias com água e 4 sem; 60% da cidade terá 4 dias com água e 3 sem. Já em Santa Cruz do Capibaribe, que tem o calendário mais rigoroso de distribuição, a ideia da Compesa é realizar um estudo para readequação do abastecimento. “Hoje são 28 dias sem água. A ideia é ficar entre 10 e 15 dias”, explicou Leonardo Selva.

Segundo o presidente da Compesa, Roberto Tavares, além de tomar a medida emergencial para preservar a barragem, a companhia também precisa concluir a obra estruturadora para a região, a Adutora do Agreste, que vai garantir o abastecimento pelos próximos 30 anos. Ainda de acordo com o presidente, a obra está em ritmo lento pela ausência de um cronograma de desembolso financeiro por parte do Governo Federal para tocar a maior obra hídrica do país.

Até o momento, já foram implantados 250 km de adutora na primeira etapa, onde já foram aplicados R$ 450 milhões de um total de R$ 1,3 bilhão. “Já estivemos cinco vezes no Ministério da Integração este ano tentando a pactuação dos recursos restantes, mas o Ministério da Fazenda ainda não deu essa autorização. Iremos, novamente, propor um cronograma mais leve para que possamos dar ritmo à obra e regularizar uma dívida de R$ 30 milhões desse empreendimento”. O presidente informou que a Compesa está apta a conveniar a segunda etapa da Adutora do Agreste, mas que ainda não há previsão para isso.

Abaixo você confere o calendário de abastecimento de todos os 15 municípios atendidos por Jucazinho:



Dados do Sistema Jucazinho



Capacidade total de acumulação da barragem - 327 milhões de metros cúbicos de água

206 km de adutoras

8 estações elevatórias

População beneficiada: 850 mil pessoas

15 municípios atendidos


Pesquisado por Manoel Augusto 

0 comentários:

VER MAVA

VER MAVA

Berg Etiquetas

Berg Etiquetas

NG Tecidos

NG Tecidos

GPS - Administradora

GPS - Administradora

Cheiro e Chame Acessórios

Cheiro e Chame Acessórios

Ricardo

Ricardo


DISQUE 3719 4545

DISQUE 3719 4545
Para qualquer Informação

C & E F: 9319 6440

C & E F: 9319 6440
Fone 9716:8881

Arquivo do blog

Pesquisar este blog

Promoção Grátis

Insira seu Email Gratuitamente

Receba Nossas Novidades Via Email

Colaborador

Colaborador

Romero Leal

Romero Leal

Ligue 3741 1602

Ligue 3741 1602

Radio Toritama FM 104.9

Colaborador

Colaborador

Postagens populares

Seguidores

Atualizados