Advertisement

13 de julho de 2015

ABUSO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

A criançada está entrando de férias escolares, enquanto seus pais não gozam deste privilégio. Então, surge uma interrogação, como conciliar os filhos com o trabalho.Nesta época, o número de casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes aumentam, pois diante da necessidade em resolver este impasse os responsáveis improvisam, entregando os filhos a profissionais desqualificados, vizinhos, parentes e até na casa de coleguinhas da escola.Então, os pedófilos entram em ação e cometem as mais perversas formas de abusos sexuais. Motivo pelo qual os pais devem redobrar a atenção durante o recesso escolar.

Os crimes desta natureza são praticados na clandestinidade e seus autores geralmente são pessoas que estão acima de qualquer suspeita, dificultando a prevenção e a apuração dos casos. 

É importante estar atento a qualquer mudança comportamental da criança, pois a tendência é a vítima guardar segredo por ameaça, chantagem ou promessa de recompensa. Outras vezes a vítima se cala por sentimento de culpa e vergonha.

A Violência sexual contra menores de 18 anos ocorre na proporção de um em cada 10 meninos e de uma para 4 meninas, no mundo, ou seja, é uma realidade mais comum do que se parece.

Qualquer ato libidinoso com menores de 14 anos é crime, mesmo quando há consentimento da vítima, é o que se denomina estupro de vulnerável. Os abusos contra as crianças não se resumem a contatos físicos (carícias, relação sexual, beijos, sexo oral, etc.), mas também o exibicionismo, voyeurismo, falas sexualizadas, diálogos com contexto sexual nas redes sociais, etc.. 

Algumas medidas podem proteger os filhos e evitar os crimes sexuais, tais como: acompanhar a rotina do filho, controlar o uso de computador, tablets, celular e não permitir que durmam fora de casa ou que fiquem sozinhos com terceiros, conhecidos ou não; orientar os filhos, desde pequenos a não permitirem que toquem em partes íntimas de seus corpos; ensinar a contar aos pais tudo que acontece em suas vidas quando estão ausentes; ouvir os filhos e acreditar neles, por mais inesperado ou mesmo absurdo que seja o relato.

Qualquer suspeita de Abuso Sexual contra criança e adolescente entre em contato com os órgãos competentes. Delegacia de Polícia de Crimes Contra a Criança e Adolescente (81) 3184-3574; Ministério Público de Pernambuco 08002819455;
Disque Denúncia do Agreste (81) 3719-4545.

DELEGADO LUIZ BERNARDO Colunista do Jornal do Agreste
Compartilhar: Compartilhar no WhatsApp
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário