Advertisement

23 de agosto de 2015

GERENTE REGIONAL DA COMPESA FALA SOBRE CRISE HÍDRICA NO PROGRAMA CIDADE EM FOCO

O gerente Regional da COMPESA (Companhia Pernambucana de Saneamento) no Alto Capibaribe, Mário Heitor, concedeu uma entrevista exclusiva ao radialista Alberes Xavier, apresentador do programa Cidade em Foco transmitido simultaneamente pelas rádios Farol FM e Filadélfia FM.

Na oportunidade, o Gerente falou sobre a crise hídrica que o estado enfrenta e principalmente o Agreste de Pernambuco.

“Esse momento que estamos passando é um momento muito difícil, uma seca extrema que já é considerada uma das mais severas das últimas décadas. Já estamos no quinto ano de seca e percebemos que as soluções vão se extinguindo, mas a COMPESA está trabalhando para minimizar o sofrimento da população”, considerou. 

Segundo Mário, nesses cinco anos de seca os principais mananciais que abastecem a regional se extinguiram literalmente acabando totalmente a água. As primeiras a secarem foram as Barragens de Poço Fundo na zona rural de Santa Cruz do Capibaribe e do Machado localizada no Sítio Bandeiras em Brejo da Madre de Deus. Os dois mananciais estão secos de acordo com o entrevistado, desde 2013.

“No final de 2013 tivemos o colapso da barragem de Tabocas (Brejo da Madre de Deus). No início de 2015 nós tivemos os colapsos das barragens de Mateus Viera, Zamba e Queimadas, que deixaram a cidade de Taquaritinga do Norte totalmente em colapso. Agora estamos na eminência de um pré-colapso de Jucazinho”, informou Heitor pontuando que algumas intervenções já estão sendo feitas pela COMPESA para captar o volume morto.

O volume morto de Jucazinho gira em torno de 10 milhões de metros cúbicos que daria para atender de Passira a Toritama até o próximo período de chuva, que de acordo com as previsões são para o mês de março de 2016.

Questionado sobre as chuvas que caíram recentemente na Região, o Gerente disse que não houve acréscimo em Jucazinho, apenas teria estabilizado a gravidade do problema.

Sobre as pessoas que pagam a conta de água, mas que não recebem o recurso hídrico nas torneiras, o Gerente Regional ressaltou que, a fatura sempre é referente ao mês anterior e se alguma pessoa que não teve o abastecimento receber sua conta devem procurar as unidades para ser averiguada a veracidade e então ser cancelada a cobrança.

No final da entrevista, Mário Heitor informou que não tem como utilizar a água de Jucazinho para as duas cidades (Santa Cruz/Toritama) e por isso, está sendo feita uma intervenção emergencial em Caruaru para que Santa Cruz receba água da Barragem do Prata.

Do: Blog Agreste Notícia
Compartilhar: Compartilhar no WhatsApp
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário