Advertisement

28 de outubro de 2015

Carne processada e vermelha pode causar câncer, diz OMS

Comer carnes processadas pode causar câncer de intestino em humanos, enquanto a carne vermelha é uma possível causa da doença, disseram especialistas da OMS (Organização Mundial de Saúde) nesta segunda-feira (26), em uma descoberta que pode aumentar os debates sobre os méritos de uma dieta baseada no consumo de carnes.

A Iarc (Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer), sediada na França, que faz parte da OMS, colocou carnes processadas, como presunto, bacon, linguiça, hambúguer e salsicha, em sua lista de grupo 1, que inclui tabaco, amianto e fumaça de diesel, que possuem "evidências suficientes" de ligação ao câncer.

"Comedores de carne devem ser tratados como fumantes", diz líder da oposição do Meio Ambiente inglesa

Carne frita ou assada aumenta risco de demência, diz estudo

"Para um indivíduo, o risco de desenvolvimento de câncer de intestino por conta do consumo de carne processada continua pequeno, mas o risco aumenta com a quantidade de carne consumida", disse o Kurt Straif, chefe do Programa de Monografias da Iarc, em nota.

Carne vermelha, sob a qual a Iarc inclui carne bovina, de cordeiro e porco, foi classificada como "provável" agente cancerígeno na lista do grupo 2A, que contém glifosato, ingrediente ativo em muitos pesticidas.

A classificação mais baixa para carne vermelha refletiu "evidências limitadas" para causa de câncer. A Iarc descobriu ligações principalmente com câncer de intestino, mas também observou associações com câncer de pâncreas e próstata, acrescentou.

A Iarc não compara o nível de risco de câncer associado a diferentes substâncias em uma determinada categoria, então não sugere que comer carne é tão perigoso como fumar, por exemplo.

Produtores

No Brasil, a Abiec (Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne) disse, por meio de comunicado, que "é importante destacar os benefícios nutricionais à saúde humana proporcionados pelo consumo de carne vermelha e outras proteínas, que já foram comprovados por pesquisas científicas em todo o mundo".

A Abiec disse ainda que seus associados se "orgulham de prover aos consumidores do Brasil e do mundo um produto que continuará fazendo parte da dieta das pessoas por muitas gerações".

Procurada, a JBS, maior produtora de carne bovina do mundo, afirmou apenas que segue posicionamento da Abiec.

A BRF, uma das maiores produtoras de alimentos processados do país e maior exportadora de carne de frango do mundo, não comentou o assunto, ao ser procurada pela Reuters. A Marfrig, outra importante produtora de alimentos do país, não se pronunciou.
Compartilhar: Compartilhar no WhatsApp
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário