Advertisement

5 de novembro de 2016

Priscila questiona declarações de secretários sobre 13º dos servidores

A deputada estadual Priscila Krause (DEM) utilizou seus perfis nas redes sociais – Facebook e Twitter – para questionar o governo de Pernambuco a respeito da declaração do secretário estadual de Administração, Milton Coelho, nesta sexta-feira (4), em emissora de rádio local, sobre ainda não haver recursos assegurados para o pagamento do 13º salário dos servidores estaduais. Ela levará o assunto para o plenário da Assembleia Legislativa na próxima semana.

Componente da Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa, Priscila questionou o secretário da Fazenda, Márcio Stefanni, no início de outubro e ouviu que esses recursos estavam assegurados pois a administração estava reservando mensalmente parte da arrecadação para o pagamento da parcela única até o fim do ano.

“É preciso que se esclareça se há um equívoco do secretário de Administração ou se a informação apresentada na Assembleia pela Fazenda, na verdade, não se referia aos fatos reais da situação do caixa estadual. Estamos falando de milhares de servidores, aposentados, pensionistas e comissionados que tinham a informação anterior como confiável e estão com seus orçamentos programados para isso”, registrou Priscila. 

Priscila questionou o secretário Márcio Stefanni quando da apresentação do relatório fiscal do segundo quadrimestre deste ano. Na ocasião, ela previu que Pernambuco teria dificuldades para fechar as contas no fim de dezembro porque a dívida com fornecedores permanece alta (algo em torno de R$ 800 milhões), o governo não adiantou a primeira parcela do décimo terceiro como fez no ano de 2015 e, por parte da arrecadação, não haverá esse ano o incremento de cerca de R$ 700 milhões, depositados em dezembro passado, referente à venda da operacionalização da folha dos servidores ao Bradesco. 

“Nosso papel é acompanhar as contas de perto porque estamos nos encaminhando para um quadrimestre de grande dificuldade, pois o volume de obrigações do governo é bem maior do que foi em 2015 e a arrecadação, apesar da discreta recuperação da economia, provavelmente será menor que no mesmo período do ano passado”, afirmou na ocasião.

Apesar do pacote fiscal aprovado ano passado, com aumento de alíquotas em impostos como ICMS e IPVA, a receita corrente estadual teve crescimento real negativo no período de janeiro a setembro em relação aos mesmos meses do ano passado. Sem as correções inflacionárias, o crescimento foi de 1,61%. Os dados foram apurados pelo gabinete da deputada estadual Priscila Krause.
Compartilhar: Compartilhar no WhatsApp
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário