Advertisement

7 de março de 2017

MEC identifica mais de 16 faculdades irregulares em Pernambuco

O Ministério da Educação (MEC) apresentou, nesta segunda-feira (6), as conclusões da investigação de faculdades irregulares em Pernambuco. A audiência pública foi realizada no Plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Até o momento, dezesseis instituições já foram apontadas.
Além disso, é possível que mais intituições estejam envolvidas. "Dado o volume de diplomas registrados na Unig (83.733), estima-se que existam muito mais instituições envolvidas", aponta o relatório.
No ano passado, a CPI das Faculdades Irregulares entregou um relatório que apontava a compra e venda de diplomas. O texto apontava um prejuízo para mais de 20 mil estudantes. De acordo com o que foi apresentado pelo MEC, o curso com mais alunos prejudicados foi Pedagogia.
As instituições denunciadas são: Faculdade de Desenvolvimento e Integração Regional (Fadire), Fundação de Ensino Superior de Olinda (Funeso), Uninacional, Faculdade Santo Augusto (Faisa), Instituto Educacional de Desenvolvimento Cultural e Pesquisa em Desenvolvimento Humano (Ieduc), Instituto Superior de Educação de Floresta (Isef), Instituto de Ensino Superior de Americana (Iesa), Centro de Ensino Pesquisa e Inovação (Cenpi), Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (Isel), Universidade Iguaçu (Unig), Instituto Superior de Educação de Pesqueira (Isep), Faculdade Educacional de Colombo (Faec), Faculdade de Tecnologia Flamingo (Flatec), Faculdade Latino Americana de Educação (Flated), Faculdade de Teologia Evangélica do Rio de Janeiro (Flaterj), Instituto Educacional Humberto Corrêa (Ieduc), Instituto de Ensino Superior de Americana (Iesa), Instituto Belchior e Faculdade Anchieta do Recife. 

Compartilhar: Compartilhar no WhatsApp
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário