Advertisement

30 de abril de 2019

Na manhã desta segunda-feira (29), a Deputada Federal Marília Arraes (PT), DA ENTREVISTA EM TORITAMA

 Na manhã desta segunda-feira (29), a Deputada Federal Marília Arraes (PT), concedeu entrevista ao programa Tribuna do Povo na Rádio Líder de Toritama. Aos comunicadores Wendell Galdino e Jessé Aciole ela falou da seu trabalho em Brasília, o ganho de experiência, a disponibilidade para atender as demandas e necessidades das cidades de Pernambuco. Falou de sua responsabilidade com todos os municípios do estado. Mas o destaque da entrevista foi o desafio que está enfrentando para votar a reforma da previdência, mas com pontos que não tire da população direitos, nem dificulte ainda mais o cidadão em ter o direito de uma aposentadoria digna para todos, principalmente para os mais humildes.
 Falou da alegria de poder através do Programa Tribuna do Povo falar com a população de Toritama e região. "Bom dia! É com alegria que eu aproveito a grande audiência de vocês para falar um pouco do momento em que vive o Brasil, principalmente do assunto que está mexendo com o país, que é a reforma da previdência", falou Marília Arraes.
 Qual a sua opinião sobre esta 'Reforma da Previdência', pois a população está confusa, pois os aliados do governo dizem que é preciso a reforma do jeito que foi enviada ao congresso, enquanto a oposição dizem que da forma que tá não é boa pra o país. Qual a sua opinião?

Marília Arraes: Veja bem a conversa do pessoal do governo quer é mesmo tirar direitos do povo, enganando a população dizendo que a reforma do jeito que tá é a melhor saída. Pois o mesmo disseram com a reforma trabalhista, que se aprovada iria criar novos empregos, e cadê os empregos que até o momento não apareceram. Ao contrário do governo Lula que deixou o país com o maior número de empregos da história desse país. Na verdade a reforma trabalhista tirou direitos do trabalhador e o mesmo estão querendo fazer com a reforma da previdência.
Lamento que o governo esteja fazendo terror na população dizendo que se não for aprovado da forma que o governo quer a população pagará um preço alto e que a previdência pode quebrar e muitas pessoas não conseguirão se aposentar e direitos serão perdidos. É mentira, da forma que o governo quer é que vai prejudicar a nossa população. A proposta do governo não é clara de como ficarão os direitos das gestantes, do homem e da mulher do campo, quanto serão a porcentagem dos benefícios que serão repassados para aposentados e pensionistas. Muita coisa precisa mudar nessa reforma.
[22:49, 29/4/2019] +55 81 9617-7122: Deputada como a senhora ver essa proposta de aumentar os valores das verbas de gabinete, uma espécie de toma lá dá cá que o governo ofereceu para os deputados que aprovarem a reforma da previdência?

Marília Arraes: Olha, é importante deixar claro que não é pagar para que os deputados votem a reforma, os deputados não receberiam nenhum valor pra aprovar a reforma, mas sim haveria um aumento nos valores das verbas de gabinete, um direito de qualquer parlamentar, verbas essas que servem para o parlamentar possa enviar verbas para suas bases. É preciso ter cuidado com essas colocações. São as chamadas, ementas parlamentares, que serve para realizações de obras e serviços como: perfuração de poços artesianos, pavimentações de ruas e vias, além de outras ações nas mais diversas áreas, como: saúde, educação, segurança entre outros. Mas que devem ser distribuídas de forma justa para todos os parlamentares, mas não pra uns e outros não. É inadmissível que esse toma lá, da cá tão repudiado pelos aliados do atual governo durante os governos anteriores, hoje seja moeda de troca para favorecimentos próprios. Contradições são o que mais vemos no governo atual. Se a proposta é a ideal, porquê essa proposta para incentivar os deputados a votarem como quer o governo? Eu não consigo entender também. Se é tudo certo, porquê dessa prática? Tem alguma coisa errada aí. Nós somos contra, até porque é um recurso que é direcionado para os deputados ajudarem suas bases e da forma como foi proposta deixou transparecer que é uma troca de favores. E isso eu não aceito.O mais interessante é que foram eleitos repudiando tal fato e agora tá no mesmo sistema. Onde está a nova política que não aceitava esse tipo de manobra? Tá na mesma situação, na mesma política do toma lá, da cá. O que se percebe é que há uma intenção de tirar o direito do trabalhador. É um governo sem comando, onde o filho quer tomar o lugar do pai.  Onde a cada instante aparece uma polêmica envolvendo o filho do presidente atacando aliados e até mesmo o vice-presidente, fala pelo pai, compromete seu pai em algumas declarações. Na verdade o Brasil não pode está passando por isso. É lamentável, mas que precisa ter um ponto final e que deixem as desigualdades de lado e assumam as rédeas do país.
 O que o povo brasileiro pode esperar disso tudo?

Marília Arraes: O povo não pode de forma alguma perder a esperança. Pois perder a esperança não nos leva a lugar nenhum. O que a gente precisa é se manter esperançoso e consciente. Que o povo busque se inteirar dos acontecimentos e fatos que estão acontecendo e ao mesmo tempo fiscalizando cada um dos parlamentares. Buscando saber se as decisões de cada deputado ou senador. Procure saber realmente quem tá fazendo pelo povo. Quais ações, projetos políticos e demais atividades parlamentares. Busque saber como votou seu deputado nos projetos e quais as consequências desses votos. Estamos deputados e o povo precisa acompanhar nossas ações. Um exemplo é a votação da reforma da previdência, pois o voto será refletido não só no futuro, mas já agora no dia a dia. Atualmente temos um grande número de pessoas desempregadas e essa dura realidade pode piorar se não votarem como o povo deseja. Atualmente temos quase 13 milhões de pessoas desempregadas, isso é uma dura realidade e precisa mudar. Essa idéia de capitalização na minha opinião não ajuda o trabalhador, mais atrapalha. Quem vai bancar a aposentadoria de quem já é ou está lutando para se aposentar? Com essa capitalização não vai ajudar, vai só prejudicar o trabalhador, principalmente. É lamentável que o governo faça gestos para pessoas e empresas que sonegam impostos e que lá na frente todos sentirão o efeito dessa ação. Porém a única coisa que pode ajudar a mudar essa realidade é o povo participando ativamente das ações do país. E não se deixando levar por notícias falsas (Fake News) ou pelo terrorismo que vem sendo feito pelos aliados do governo federal. O que precisa é a participação e fiscalização do povo sobre os seus deputados. Nas eleições passadas a população deu a resposta a muitos políticos que votaram na reforma trabalhista e no golpe ao governo Dilma. Foi uma renovação de mais de 50% no congresso, senado e nas casas legislativas estaduais. Agora é hora de olhar quem tá a favor do povo e quem tá a favor do governo. Eu acredito no povo brasileiro, em especial no pernambucano que são bem politizados, muito consciente e participando ativamente não só na fiscalização, mas opinando em nosso mandato.
 O que destacar o trabalho de Marília Arraes nesse início de mandato?

Marília Arraes: Em primeiro lugar muito aprendizado, não tem essa de achar que sabe de tudo, sabe? Apesar de ter dez anos de vida pública e experiência no parlamento, mesmo assim é um momento de mais aprendizado, mas não tem vida fácil, aprende na prática. Até porque eu chego num parlamento novo. Dos 513 deputados federais, a presença feminina ainda é pouca, precisa de mais. Vale lembrar que ocupo a comissão de seguridade social e família, que discute temas como a própria previdência social, estamos elaborando e apreciando projetos para a saúde, a previdência social, previdência da mulher, a família entre outros. Temos tido destaque na luta contra a violência contra a mulher, violência doméstica e que com as nossas ações possamos acabar com essa triste realidade que é um grande mau do Brasil e do mundo. Estamos a favor soberania nacional. É o decreto que impede que pessoas entre no Brasil sem o visto brasileiro. Temos feito várias discussões sobre esses assuntos e os resultados tem sido muito produtivo. Estamos vivendo um grande momento e é preciso a participação do povo brasileiro. É por isso que eu convido a todos para nos acompanhar pelas redes sociais e ver o nosso trabalho, como também opinar sobre os assuntos debatidos por nós. Só assim tanto eu quanto os demais parlamentares saibam que o povo está acompanhando os nossos trabalhos. Eu sei das minhas responsabilidades desde a minha pré campanha e assim como eu fui a cada município me apresentar pessoalmente para ser a sua representante, agora depois de votada a responsabilidade só aumenta e me fortalece e me dar forças para trabalhar pelo meu povo. Independente de ter sido apoiada ou não, fui votada em todos os municípios do estado e agora é hora de retribuir o voto de confiança em trabalho. Nós que estamos em cargos eletivos passamos a ser representante de todos. Pra mostrar meu compromisso temos aberto as portas do meu gabinete, tanto em Brasília como em Recife para atender as demandas de todos e dar as respostas devidas, pra que as ementas sejam destinadas e efetivadas naquilo que a população merece. Estamos a disposição para o que for necessário para ajudar a população, seja em envio de verbas ou pra destravar algo que precise de nossa ajuda. Sou deputada de todos os pernambucanos, pois fui votada em todos os municípios do estado.
 O que Toritama pode esperar de Marília Arraes?

Marília Arraes: Muito trabalho, disso tenha certeza. Temos conversado muito com políticos e representantes da região no intuito de se inteirar ainda mais da região, mas estamos a disposição para qualquer um que necessite de algo que esteja ao nosso alcance, é só falar que eu e minha equipe estamos a disposição
: Essa notícia de que você estaria disposta a trocar de partido para disputar a prefeitura do Recife, procede?

Marília Arraes: Na verdade, nós estamos no processo de disputa interna do partido, vai haver eleições para decidir sobre o comando da legenda no estado. Essa é a primeira meta do partido que visa aumentar não só o número de filiados em todo o estado, mas também trabalhar a visibilidade e a imagem do partido a nível de estado. Tenho projetos para o partido, alguns iniciados em 2018. A meta é trazer novos filiados que também gozem das mesmas idéias que nós. O que a gente quer agora é que o PT seja muito bem representado pela sua base. Pois o PT tem que deixar de ser suporte para outros partidos, principalmente para o PSB. Chega de bater esteira pra o PSB e suas lideranças, não somente no Recife, não somente em Pernambuco, mas a nível de Brasil. Se assumirmos a liderança do partido isso a gente não vai deixar que aconteça, vamos trabalhar para fazer um partido competitivo nas grandes, médias e pequenas cidades. Nós vamos fortalecer o partido de Lula, o partido dos trabalhadores em geral. Se pensam que eu vou desistir, estão enganados, desistir não faz parte do meu perfil. Tá muito longe da minha realidade hoje, a gente vai continuar no PT, iremos continuar lutando.
Sabemos que o Recife precisa urgentemente de uma renovação, de uma mudança, mas que tudo deve ser pensado e analisado com calma. Sabemos que há uma aliança com o PSB, mas a política é dinâmica e que tudo pode acontecer. Temos visto tantas contradições e que isso tem custado caro para muitos políticos. Quem não lembra de Geraldo Júlio colocando tudo o que era de culpa no PT e hoje rasga elogios. Que Humberto hoje é bom, mas foi alvo de acusações por parte do PSB e estiveram unidos nas eleições passadas. Eu tenho lado e postura própria. Muita coisa pode acontecer, pois a política é dinâmica, mas uma coisa que eu tenho na vida é que a pessoa tem que ter lado, inteligência e sabedoria para saber tomar as decisões corretas para saber conduzir a minha trajetória política pelos melhores caminhos.
 Você foi votada em todos os municípios de Pernambuco, como ficaria essas cidades caso você opte por se candidatar a prefeita de Recife?

Marília Arraes: É o que eu falei anteriormente, é preciso ser debatido, analisado com sabedoria, pra poder se tomar qualquer decisão. Pra seguir a diante com esse projeto teria que ter o aval da base. Não é fácil. Eu fui votada em todos os municípios do estado e isso aumenta a minha responsabilidade. É preciso muita sabedoria para se tomar uma decisão como esta. Teria que ser uma decisão em conjunto com todas as bases. Pois foi em conversa com essas bases que decidi me candidatar a deputada federal e hoje não é diferente. É um assunto pra futuro, as eleições no Recife ainda está no campo das especificações, sem falar nas indefinições e incertezas. Prefiro viver o agora. E deixar esse assunto para o momento certo. Nós temos muito pra trabalhar, estamos focada em aprender bastante e poder cumprir bem o nosso mandato de deputada federal, pois foi pra isso que o povo me elegeu. Agradeço a todos os pernambucanos a confiança, estamos as ordens. Obrigado a todos que fazem a Rádio Líder de Toritama pelo espaço sempre disponível. Conte com a gente.
 Marília Arraes concede entrevista na Rádio Líder de Toritama: Marília Arraes concede entrevista na Líder de Toritama. 

Na manhã desta segunda-feira (29), a Deputada Federal Marília Arraes (PT), concedeu entrevista ao programa Tribuna do Povo na Rádio Líder de Toritama. Aos comunicadores Wendell Galdino e Jessé Aciole ela falou da seu trabalho em Brasília, o ganho de experiência, a disponibilidade para atender as demandas e necessidades das cidades de Pernambuco. Falou de sua responsabilidade com todos os municípios do estado. Mas o destaque da entrevista foi o desafio que está enfrentando para votar a reforma da previdência, mas com pontos que não tire da população direitos, nem dificulte ainda mais o cidadão em ter o direito de uma aposentadoria digna para todos, principalmente para os mais humildes.

A Deputada falou da alegria de poder através do Programa Tribuna do Povo falar com a população de Toritama e região. "Bom dia! É com alegria que eu aproveito a grande audiência de vocês para falar um pouco do momento em que vive o Brasil, principalmente do assunto que está mexendo com o país, que é a reforma da previdência", falou Marília Arraes.

Wendell Galdino: Qual a sua opinião sobre esta 'Reforma da Previdência', pois a população está confusa, pois os aliados do governo dizem que é preciso a reforma do jeito que foi enviada ao congresso, enquanto a oposição dizem que da forma que tá não é boa pra o país. Qual a sua opinião?

Marília Arraes: Veja bem a conversa do pessoal do governo quer é mesmo tirar direitos do povo, enganando a população dizendo que a reforma do jeito que tá é a melhor saída. Pois o mesmo disseram com a reforma trabalhista, que se aprovada iria criar novos empregos, e cadê os empregos que até o momento não apareceram. Ao contrário do governo Lula que deixou o país com o maior número de empregos da história desse país. Na verdade a reforma trabalhista tirou direitos do trabalhador e o mesmo estão querendo fazer com a reforma da previdência.
Lamento que o governo esteja fazendo terror na população dizendo que se não for aprovado da forma que o governo quer a população pagará um preço alto e que a previdência pode quebrar e muitas pessoas não conseguirão se aposentar e direitos serão perdidos. É mentira, da forma que o governo quer é que vai prejudicar a nossa população. A proposta do governo não é clara de como ficarão os direitos das gestantes, do homem e da mulher do campo, quanto serão a porcentagem dos benefícios que serão repassados para aposentados e pensionistas. Muita coisa precisa mudar nessa reforma.

Wendell Galdino: Deputada como a senhora ver essa proposta de aumentar os valores das verbas de gabinete, uma espécie de toma lá dá cá que o governo ofereceu para os deputados que aprovarem a reforma da previdência?

Marília Arraes: Olha, é importante deixar claro que não é pagar para que os deputados votem a reforma, os deputados não receberiam nenhum valor pra aprovar a reforma, mas sim haveria um aumento nos valores das verbas de gabinete, um direito de qualquer parlamentar, verbas essas que servem para o parlamentar possa enviar verbas para suas bases. É preciso ter cuidado com essas colocações. São as chamadas, ementas parlamentares, que serve para realizações de obras e serviços como: perfuração de poços artesianos, pavimentações de ruas e vias, além de outras ações nas mais diversas áreas, como: saúde, educação, segurança entre outros. Mas que devem ser distribuídas de forma justa para todos os parlamentares, mas não pra uns e outros não. É inadmissível que esse toma lá, da cá tão repudiado pelos aliados do atual governo durante os governos anteriores, hoje seja moeda de troca para favorecimentos próprios. Contradições são o que mais vemos no governo atual. Se a proposta é a ideal, porquê essa proposta para incentivar os deputados a votarem como quer o governo? Eu não consigo entender também. Se é tudo certo, porquê dessa prática? Tem alguma coisa errada aí. Nós somos contra, até porque é um recurso que é direcionado para os deputados ajudarem suas bases e da forma como foi proposta deixou transparecer que é uma troca de favores. E isso eu não aceito.O mais interessante é que foram eleitos repudiando tal fato e agora tá no mesmo sistema. Onde está a nova política que não aceitava esse tipo de manobra? Tá na mesma situação, na mesma política do toma lá, da cá. O que se percebe é que há uma intenção de tirar o direito do trabalhador. É um governo sem comando, onde o filho quer tomar o lugar do pai.  Onde a cada instante aparece uma polêmica envolvendo o filho do presidente atacando aliados e até mesmo o vice-presidente, fala pelo pai, compromete seu pai em algumas declarações. Na verdade o Brasil não pode está passando por isso. É lamentável, mas que precisa ter um ponto final e que deixem as desigualdades de lado e assumam as rédeas do país.

Wendell Galdino: O que o povo brasileiro pode esperar disso tudo?

Marília Arraes: O povo não pode de forma alguma perder a esperança. Pois perder a esperança não nos leva a lugar nenhum. O que a gente precisa é se manter esperançoso e consciente. Que o povo busque se inteirar dos acontecimentos e fatos que estão acontecendo e ao mesmo tempo fiscalizando cada um dos parlamentares. Buscando saber se as decisões de cada deputado ou senador. Procure saber realmente quem tá fazendo pelo povo. Quais ações, projetos políticos e demais atividades parlamentares. Busque saber como votou seu deputado nos projetos e quais as consequências desses votos. Estamos deputados e o povo precisa acompanhar nossas ações. Um exemplo é a votação da reforma da previdência, pois o voto será refletido não só no futuro, mas já agora no dia a dia. Atualmente temos um grande número de pessoas desempregadas e essa dura realidade pode piorar se não votarem como o povo deseja. Atualmente temos quase 13 milhões de pessoas desempregadas, isso é uma dura realidade e precisa mudar. Essa idéia de capitalização na minha opinião não ajuda o trabalhador, mais atrapalha. Quem vai bancar a aposentadoria de quem já é ou está lutando para se aposentar? Com essa capitalização não vai ajudar, vai só prejudicar o trabalhador, principalmente. É lamentável que o governo faça gestos para pessoas e empresas que sonegam impostos e que lá na frente todos sentirão o efeito dessa ação. Porém a única coisa que pode ajudar a mudar essa realidade é o povo participando ativamente das ações do país. E não se deixando levar por notícias falsas (Fake News) ou pelo terrorismo que vem sendo feito pelos aliados do governo federal. O que precisa é a participação e fiscalização do povo sobre os seus deputados. Nas eleições passadas a população deu a resposta a muitos políticos que votaram na reforma trabalhista e no golpe ao governo Dilma. Foi uma renovação de mais de 50% no congresso, senado e nas casas legislativas estaduais. Agora é hora de olhar quem tá a favor do povo e quem tá a favor do governo. Eu acredito no povo brasileiro, em especial no pernambucano que são bem politizados, muito consciente e participando ativamente não só na fiscalização, mas opinando em nosso mandato.

Wendell Galdino: O que destacar o trabalho de Marília Arraes nesse início de mandato?

Marília Arraes: Em primeiro lugar muito aprendizado, não tem essa de achar que sabe de tudo, sabe? Apesar de ter dez anos de vida pública e experiência no parlamento, mesmo assim é um momento de mais aprendizado, mas não tem vida fácil, aprende na prática. Até porque eu chego num parlamento novo. Dos 513 deputados federais, a presença feminina ainda é pouca, precisa de mais. Vale lembrar que ocupo a comissão de seguridade social e família, que discute temas como a própria previdência social, estamos elaborando e apreciando projetos para a saúde, a previdência social, previdência da mulher, a família entre outros. Temos tido destaque na luta contra a violência contra a mulher, violência doméstica e que com as nossas ações possamos acabar com essa triste realidade que é um grande mau do Brasil e do mundo. Estamos a favor soberania nacional. É o decreto que impede que pessoas entre no Brasil sem o visto brasileiro. Temos feito várias discussões sobre esses assuntos e os resultados tem sido muito produtivo. Estamos vivendo um grande momento e é preciso a participação do povo brasileiro. É por isso que eu convido a todos para nos acompanhar pelas redes sociais e ver o nosso trabalho, como também opinar sobre os assuntos debatidos por nós. Só assim tanto eu quanto os demais parlamentares saibam que o povo está acompanhando os nossos trabalhos. Eu sei das minhas responsabilidades desde a minha pré campanha e assim como eu fui a cada município me apresentar pessoalmente para ser a sua representante, agora depois de votada a responsabilidade só aumenta e me fortalece e me dar forças para trabalhar pelo meu povo. Independente de ter sido apoiada ou não, fui votada em todos os municípios do estado e agora é hora de retribuir o voto de confiança em trabalho. Nós que estamos em cargos eletivos passamos a ser representante de todos. Pra mostrar meu compromisso temos aberto as portas do meu gabinete, tanto em Brasília como em Recife para atender as demandas de todos e dar as respostas devidas, pra que as ementas sejam destinadas e efetivadas naquilo que a população merece. Estamos a disposição para o que for necessário para ajudar a população, seja em envio de verbas ou pra destravar algo que precise de nossa ajuda. Sou deputada de todos os pernambucanos, pois fui votada em todos os municípios do estado.

Wendell Galdino: O que Toritama pode esperar de Marília Arraes?

Marília Arraes: Muito trabalho, disso tenha certeza. Temos conversado muito com políticos e representantes da região no intuito de se inteirar ainda mais da região, mas estamos a disposição para qualquer um que necessite de algo que esteja ao nosso alcance, é só falar que eu e minha equipe estamos a disposição.

Wendell Galdino: Essa notícia de que você estaria disposta a trocar de partido para disputar a prefeitura do Recife, procede?

Marília Arraes: Na verdade, nós estamos no processo de disputa interna do partido, vai haver eleições para decidir sobre o comando da legenda no estado. Essa é a primeira meta do partido que visa aumentar não só o número de filiados em todo o estado, mas também trabalhar a visibilidade e a imagem do partido a nível de estado. Tenho projetos para o partido, alguns iniciados em 2018. A meta é trazer novos filiados que também gozem das mesmas idéias que nós. O que a gente quer agora é que o PT seja muito bem representado pela sua base. Pois o PT tem que deixar de ser suporte para outros partidos, principalmente para o PSB. Chega de bater esteira pra o PSB e suas lideranças, não somente no Recife, não somente em Pernambuco, mas a nível de Brasil. Se assumirmos a liderança do partido isso a gente não vai deixar que aconteça, vamos trabalhar para fazer um partido competitivo nas grandes, médias e pequenas cidades. Nós vamos fortalecer o partido de Lula, o partido dos trabalhadores em geral. Se pensam que eu vou desistir, estão enganados, desistir não faz parte do meu perfil. Tá muito longe da minha realidade hoje, a gente vai continuar no PT, iremos continuar lutando.
Sabemos que o Recife precisa urgentemente de uma renovação, de uma mudança, mas que tudo deve ser pensado e analisado com calma. Sabemos que há uma aliança com o PSB, mas a política é dinâmica e que tudo pode acontecer. Temos visto tantas contradições e que isso tem custado caro para muitos políticos. Quem não lembra de Geraldo Júlio colocando tudo o que era de culpa no PT e hoje rasga elogios. Que Humberto hoje é bom, mas foi alvo de acusações por parte do PSB e estiveram unidos nas eleições passadas. Eu tenho lado e postura própria. Muita coisa pode acontecer, pois a política é dinâmica, mas uma coisa que eu tenho na vida é que a pessoa tem que ter lado, inteligência e sabedoria para saber tomar as decisões corretas para saber conduzir a minha trajetória política pelos melhores caminhos.
Wendell Galdino: Você foi votada em todos os municípios de Pernambuco, como ficaria essas cidades caso você opte por se candidatar a prefeita de Recife?

Marília Arraes: É o que eu falei anteriormente, é preciso ser debatido, analisado com sabedoria, pra poder se tomar qualquer decisão. Pra seguir a diante com esse projeto teria que ter o aval da base. Não é fácil. Eu fui votada em todos os municípios do estado e isso aumenta a minha responsabilidade. É preciso muita sabedoria para se tomar uma decisão como esta. Teria que ser uma decisão em conjunto com todas as bases. Pois foi em conversa com essas bases que decidi me candidatar a deputada federal e hoje não é diferente. É um assunto pra futuro, as eleições no Recife ainda está no campo das especificações, sem falar nas indefinições e incertezas. Prefiro viver o agora. E deixar esse assunto para o momento certo. Nós temos muito pra trabalhar, estamos focada em aprender bastante e poder cumprir bem o nosso mandato de deputada federal, pois foi pra isso que o povo me elegeu. Agradeço a todos os pernambucanos a confiança, estamos as ordens. Obrigado a todos que fazem a Rádio Líder de Toritama pelo espaço sempre disponível. Conte com a gente.
Por Wendell Galdino
Compartilhar: Compartilhar no WhatsApp
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário